Audioguia Caminhos da Memória

O Audioguia Caminhos da Memória: a cidade como museu, o sujeito como patrimônio é a primeira iniciativa na região que valoriza a memória local em diálogo com o turismo, visando o estímulo da economia criativa na região. O audioguia pode ser baixado no seu celular, ou em outro dispositivo eletrônico similar, gratuitamente.

A proposta do audioguia é conhecer a cidade através das memórias dos moradores locais. Para isso, basta fazer o download e ir para a Praça General Marcondes Salgado, onde fica a Igreja Nossa Senhora do Rosário, colocar os fones de ouvido e aproveitar o passeio.

Quando uma comunidade conhece sua história, entende-se e se valoriza enquanto patrimônio cultural, os diversos projetos para o desenvolvimento local são fertilizados, ganhando um potencial de multiplicadores. Esse processo é primeiro pressuposto no desenvolvimento do turismo cultural e da economia criativa. Não existe sujeito sem memória, não existe território/ paisagem sem sujeitos que o habitam. Para os moradores, o projeto tem o objetivo de promover a redescoberta do seu território, reforçar os laços de pertencimento cultural, fortalecendo a identidade afirmativa do espaço, o sentimento de autoestima, valorizando a história e a memória desta comunidade.

O mesmo audioguia, para o visitante, tem o objetivo de promover o contato com os hábitos culturais da cidade e estimular a economia criativa a partir do momento que se criam novos focos e roteiros para a interação turística. Para tanto, serão trabalhadas contextualizações históricas e geográficas introduzidas ao longo do percurso. Espera-se, assim, proporcionar aos turistas o contato com novas culturas, novos sabores, novas perspectivas identitárias através de um roteiro histórico-cultural.

O processo de mapeamento e criação de um roteiro turístico do patrimônio cultural de determinada região, não se limita aos aspectos topográficos de seu território e de seu patrimônio material. Antes de tudo, o mapeamento opera na multiplicidade de sentidos atribuídos pelos moradores a essa paisagem, sua topografia e seus patrimônios materiais. Grosso modo, podemos chamar tais interpretações e sentidos de cultura imaterial, de patrimônio cultural. Assimilando essa concepção de “cultura”, “patrimônio”, “território/ paisagem”, o MuMan montou um roteiro em audioguia em que os turistas conhecerão a cidade pela história de seus moradores. Propomos um “mapa” topográfico da região, em que cada parada é comentada por um morador. Nesse caleidoscópio de territorialidades, o “visitante” é convidado a experienciar o território por meio das memórias e dos sentidos atribuídos pelos moradores locais.

Ouça o Audioguia